Depois de 100 dias de leilão 5G a ANACOM reitera irresponsabilidade e incompetência alterando o regulamento

O processo de leilão das licenças 5G em Portugal parece uma novela mexicana sem fim à vista. Num comunicado, a Altice Portugal lamenta que hoje, quase 100 dias decorridos daquele que é, seguramente, o mais lento, longo e atrasado leilão para o 5G na Europa, o Regulador venha a público queixar-se das suas próprias decisões e admitir o atraso do País que só à sua atuação pode ser atribuído.


Depois de 100 dias de leilão 5G a ANACOM reitera irresponsabilidade e incompetência alterando o regulamento

Vitor Martins

CEO do Grupo Pplware.com, administrador e editor em áreas tecnológicas.

Destaques PPLWARE

5 Respostas

  1. Diogo diz:

    Alguém me traduz para miudos o que o texto diz ? Porque sou emigrante e tenho 5g ja la vais alguns meses.
    O que se passa em Portugal ?

    • Miguel Vieira diz:

      Tiraram o tapete vermelho á Altice, habituada a ser a empresa de telecomunicações com privilégios a cima das outras concorrentes, que já nao fazem sentido quando já nao é uma empresa da esfera estatal.
      Esta má fé que eles se referem vem no sentido de perderem o estatuto de empresa privilegiada e abrir novas portas a nova empresas concorrentes.
      De má fé agiu a Altice ao mandar para praça pública o contrato que está a terminar do Siresp, um contrato que termina em plena época alta dos fogos em Portugal, enfim ambas as partes Estado e Altice negoceiam não a pensar no interesse publico mas sim em interesses privados, enfim mais do mesmo que já estamos habituados.
      Um desabafo de um mero cidadão sem qualquer interesse politico ou partidário.

    • Jorge Ribeiro diz:

      loops burocráticos, que fazem com que as empresas a atuar em Portugal não aceitem os termos exigidos pela anacom e que novas operadoras não tenham meios para cumprir com as exigências. Resumindo: A anacom a mais uma vez a fazer asneiras porque não tem a minima noção de como é que funciona aquilo que está a regular.

    • Joao Branco diz:

      O que se passa (segundo parece a qualquer observador independente) é que as operadoras incumbentes em Portugal querem continuar o seu cartel, e como tal não querem o 5G nos moldes em que está previsto porque vai trazer novas operadoras, e logo mais competição.

      Portanto fizeram um arranjinho entre si, limitando as licitações que fazem ao mínimo possível para o leilão nunca mais acabar… E ficaram chateadas por a Anacom ter alterado as regras para obrigar a licitações de maior dimensão.

  2. nationalibus@gmail.com diz:

    Não percebo o frenesim com o 5/6/7/8G quando em Portugal ainda há quem morra por não conseguir ligar para o 112 porque não existe rede 2/3/4G. Portugal é um país pobre. Não se pode dar a Luxos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

×