Bruxelas quer garantir que “influencers” não fogem aos impostos

Cada vez há um maior foco nos rendimentos obtidos nas redes sociais. Em causa está o trabalho a que deram o nome de influencers. Contudo, esta atividade poderá não estar a pagar os impostos que deveria. Assim, a Comissão Europeia pretende assegurar que quem gera receitas com plataformas como o Facebook e o Instagram paga também “a sua quota-parte de impostos”. Esta ação mostra que Bruxelas apertar o cerco à evasão fiscal.


Bruxelas quer garantir que “influencers” não fogem aos impostos

Vitor Martins

CEO do Grupo Pplware.com, administrador e editor em áreas tecnológicas.

Destaques PPLWARE

12 Respostas

  1. PMT diz:

    Quando não entra no bolso deles, é lixado…

    • GM diz:

      Não é no deles, é no teu. Se não houver pagamento de impostos, como achas que as estruturas comuns se mantêm? Imagina que o pagamento de impostos é equivalente ao pagamento da quota de condomínio. Se houver condóminos que se atrasam, ou simplesmente se recusam a pagar por isto ou por aquilo, mesmo os que pagam vão ser afectados, pois o dinheiro disponível não é suficiente para sustentar as despesas comuns. Os cumpridores, pagam, e mesmo assim não são servidos. Já é outra conversa o montante que cada um paga, e o destino desses impostos, e como são utilizados, e as escolhas que são feitas. Vem-me agora à ideia uma opção muito recente que é a central de produção de hidrogénio. São só interesses envolvidos, pois de ecológico nada tem.

    • Henrique Morais diz:

      pois, mas se se pode chamar aquilo “trabalho” então deve pagar impostos como os outros.

    • ... diz:

      Não é o “quando não entra no bolso deles, é lixado…”.
      Não tem lógica nenhuma em contexto de impostos um trabalhador ser taxado quando trabalha numa entidade ou por contra própria e depois os tais “influencers” andarem a arrecadar fortunas sem serem taxados e não contribuírem para as contas do estado.
      Qualquer rendimento proveniente de trabalho deve ser taxado, logo o rendimento dos “influencers” também o deve ser.

  2. Pedro Miranda diz:

    É perfeitamente justo. Tem que haver alguma equidade no pagamento de impostos. Não pode ser só trabalhador comum a pagar impostos.

  3. Djlo diz:

    A preocupação deveria ser com os paraísos fiscais que são a Irlanda e principalmente os países baixos, que roubam muitos milhões de euros aos outros países da UE. pois as suas maiores empresas tem aí as suas sedes fiscais. Se acabassem com esse triste espectáculo, não veríamos mais esse primeiro-ministro holandês a cantar de galo. Um pais que vive tão somente à custa do dinheiro retirado de outros países.

    • Farto de Atualizações diz:

      Bem dito!

    • Fla diz:

      Não concordo de todo. Podiam era seguir o exemplo desses países e baixar os impostos na generalidade, o que por si baixaria quem foge aos mesmos. Os países com os impostos mais baixos pouca fuga aos impostos têm, em Portugal, com os impostos que bem sabemos, aproximadamente 55% das pessoas fogem de alguma forma. Os coitados dos 45% são os únicos que pagam o que devem…

  4. Farto de Atualizações diz:

    A fuga aos impostos é uma “má influencer”!

  5. Farto de Atualizações diz:

    Até já estou com pena da Pipoca + Pura. Vai ter de deixar de exibir tantos vestidos ZéKarlos, mas pode sempre ir mostrando mais perna…

  6. Coelho diz:

    Influencer já é profissão ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

×