Tags: india

Mercado indiano atrai novo fabricante chinês

A Índia tem-se mostrado um mercado em grande crescimento que tem suscitado interesse por parte de grandes empresas internacionais, como é o caso da Xiaomi, que já começou a comercializar os seus dispositivos no país ou até mesmo a Alibaba que tem feito grandes esforços para conseguir investir na Snapdeal, uma das maiores empresas de comércio electrónico da Índia, entre muitas outras.


Índia atrai investimento internacional

O mercado indiano, nestes últimos meses, tem crescido de uma forma impressionante, principalmente no sector móvel, o que tem atraído cada vez mais investidores internacionais, como é o caso da Alibaba que pretende investir na Snapdeal, ou até mesmo como a Intel Capital e a Bessemer Venture Partners que pretendem investir na Hungama.


Alibaba pretende continuar expansão na Índia

A Alibaba é actualmente a maior empresa de comércio online a nível global e tem vindo a fazer um esforço para se conseguir expandir em mercados considerados atractivos, como foi o caso do seu mais recente investimento, no Snapchat, serviço de troca de mensagens de fotografias/vídeos que se tem vindo a tornar viral. Contudo, a Alibaba quer mais e pretende agora expandir-se para um mercado que tem apresentado um enorme potencial.

Imagem: Forbes

Xiaomi proibida de vender dispositivos na Índia

Os mercados e a indústria da tecnologia de comunicação móvel, está a tomar um novo rumo derivado das pressões dos governos em relação à privacidade… ou à falta dela.

Como é do conhecimento comum, a gigante chinesa Xiaomi é uma das maiores fabricantes de smartphones a nível mundial, onde o seu principal mercado fora de portas é o mercado indiano. Mas segundo algumas notícias divulgadas na imprensa internacional, este mercado poderá estar prestes a ser abalado devido a uma proibição feita pelas altas instâncias do país.


×