Tags: dinheiro

Cibercrime russo: mais de 1.600 milhões de euros roubados em 3 anos

Os peritos do Departamento de Investigação de Incidentes em Computadores (CIID, na sua sigla em inglês) da Kaspersky Lab passaram os últimos três anos e meio a investigar mais de 330 incidentes de segurança que afetaram governos e organizações privadas. Mais de 95% destes incidentes usaram software malicioso, muitas vezes com êxito, para roubar dinheiro. Todos os detalhes estão agora compilados no relatório ‘O cibercrime russo: como funciona’.


Segurança: 6 dicas para as suas próximas férias

Durante as férias deve reinar a calma e os problemas devem ser nulos, desde o momento em que marca a viagem, até ao momento em que regressa a casa. Independentemente do destino ou do que pretende fazer e comer, o pagamento é algo que não deve estragar as suas férias ou restringir o seu divertimento. Deve ser tão fácil como é em casa, por isso, opte sempre por pagar utilizando um procedimento que lhe é familiar.

A Visa Europe possui algumas linhas orientadoras muito simples que ajudam os turistas a sentirem-se mais confiantes e seguros sempre que efetuam pagamentos no estrangeiro.


60% dos ataques ao Android têm como objectivo roubar dinheiro

De acordo com os resultados do relatório “Ciberameaças móveis“, elaborado pela Kaspersky Lab e pela INTERPOL, entre agosto de 2013 e Julho de 2014, 60% dos ataques registados por produtos de segurança da Kaspersky Lab tinham como objectivo roubar o dinheiro dos utilizadores de dispositivos Android. Os cibercriminosos dirigiam os seus ataques, maioritariamente, contra utilizadores da Rússia, embora a Ucrânia, a Espanha, o Reino Unido, Vietname, Malásia, Alemanha, India e França também constem da lista dos países mais atacados.


×