Portugueses estudam formas de tornar as telecomunicações resistentes a falhas

Uma avaria em redes de comunicações que suportam serviços essenciais pode causar danos incalculáveis. Por isso, as redes devem ser resilientes, ou seja, devem ter a capacidade de reagir e continuar a funcionar perante eventos indesejados como, por exemplo, corte de cabos, ou devem ser capazes de mitigar os efeitos no caso de desastres naturais ou de ataques de origem humana.

Investigadores da FCTUC, da FEUC – Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra e do Instituto de Telecomunicações de Aveiro estudam novas estratégias para tornar as redes de telecomunicações mais resilientes a falhas.


Portugueses estudam formas de tornar as telecomunicações resistentes a falhas

Destaques PPLWARE

1 Resposta

  1. Joao Ptt diz:

    Boa… pelos vistos ainda não utilizam routers com múltiplas entradas WAN monitorizadas para quando uma rede cai entre automaticamente outra em acção, ou até distribuir o tráfego por mais que uma rede por exemplo. As múltiplas entradas WAN ligadas a fibra-óptica, Cabo, modems 3G/4G/5G, modem satélite. Claro que os servidores remotos também devem estar implementados de forma redundante coisa que se faz à décadas um pouco por todo o lado!
    Vamos lá ver se os portugueses descobrem a roda de novo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

×